sábado, 30 de agosto de 2008

ZIGGY STARDUST androginia psicodelica



POR: LEIIITE
Quando eu digo que não se faz mais rock como antigamente e nem rockers como antigamente ,eu tenho mais certeza disso quando eu ouço um disco como "THE RISE AND FALL OF ZIGGY STARDUST AND THE SPIDERS FROM MARS" é muito talento e muita criatividade pra uma pessoa e uma banda só coisa que no final dos anos 60 e começo dos 70 não era tão raro mas agora... bom é só ligar o radio pra comparar!!
Por isso estou escrevendo essa matéria em homenagem a David Bowie um dos caras mais criativos e talentosos não só do rock mas da musica como um todo,por todos os estilos de rock que ele passou (e não é a toa que é chamado de Camaleão) ele mostrou competencia.Tudo bem que a partir do fim dos anos 70 pra ca ele caiu e muito ,por isso mesmo que éssa matéria é só sobre seus 8 primeiros albuns.

DAVID BOWIE - 67

No seu primeiro trabalho David Bowie encontrou algumas dificuldades em se firmar no mundo da


musica ,esse disco que se chama apenas David Bowie não vendeu muito bem na época é um


trabalho mais puxado para o folk music ,bem simples embora eu ache o disco legal e algumas



musicas BEMMM legais como "Uncle Arthur" e "Ruber Band".

SPACE ODDITY - 69



Bowie ja mostra um pouco de amadurecimento nesse disco , a primeira faixa que tem o mesmo



nome do disco foi tambem o primeiro single e a mesma alcançou o top 5 na Inglaterra ,Space



Oddity foi lançada 1 ano depois de ser composta para coincidir com o primeiro pouso do homem na lua.




THE MAN WHO SOLD THE WORLD - 70



O camaleão retorma mais Hippie nesse trabalho , a



faixa titulo que é a penultima do disco ,anos mais



tarde ficou conhecida por ser tocada pelo NIRVANA


no acustico MTV(Eu prefiro a original).


HUNKY DORY - 71
Um dos melhores discos desse cara na minha opinião,ele volta de novo com a onda paz e amor


da época mas esse disco é superior ao seu antecessor.O vinil ja começa quebrando com


"Changes" um classico do cantor ,logo em seguida vem "Oh! you pretty things" que começa com um


piano muito loco e o resto da musica continua na mesma levada com um refrão grudante. O disco


ainda conta com outro classico " Life on Mars"


musica que parece tocar a alma de quem ouve (que profundo heim??!!!)


RISE AND FALL OF ZIGGY STARDUST AND THE SPIDERS FROM MARS-72

Finalmente o classico dos classicos ,David Bowie sai da onda Hippie para mergulhar numa viagem com seu personagem androgino Ziggy Stardust no que seria seu primeiro disco conceitual.O disco conta a história de um alienigena(Ziggy star...) androgino(como ja foi dito) que pousa na terra para tentar salvar a humanidade num mundo que esta perto de acabar .Nessa saga o alienigena se transforma em um super star do rock´n´roll .Alem do album ser exelente Bowie mostra tambem seu lado ator dando vida ao personagem Ziggy em seus shows e até nas entrevistas da época.è dificil destacar uma musica num disco tão bom mas eu curto muito as musicas "Moonage daydream"e " Suffragette city" . Quando lançado em cd o album veio com três bonus igualmente geniais com destaque para a musica "John i´m only dancing".



PIN UP´S - 73



O alienigena Ziggy Stardust volta nesse disco que



contem apenas regravações de outras bandas como The Who por exemplo que tem 2 de suas



musicas tocadas pelo "alienigena androgino" com



destaque para "Anyway, Anyhow, Anywhere" .


ALLADIN SANE - 73

Ziggy ainda não desiste de salvar a humanidade e volta nesse album, Alladin Sane é tambem um


dos melhores disco de Bowie que na época fazia shows cada vez mais performaticos,a capa do


disco é umas das mais conhecidas da história do rock.O album foi composto durante as viagens da



turne do disco anterior.Esse foi o ultimo disco de



Bowie com a banda SPIDERS FROM MARS.
destaques: "Drive-In Saturday" e "The Jean Genie".

DIAMOND DOGS - 74



Mais um disco conceitual de Bowie baseado no livro "1984" de George Orwell que conta a história de um


futuro (naquela época 84 era um futuro não muito distante) que todas as pessoas seriam vigiadas ,alias


tem uma musica que fala especificamente disso é a "Big Brother" (é isso mesmo o mesmo nome daquela


porcaria que passa na globosta !! por que sera né???).


Bom paramos por ai até por que logo depois viria a fase meio funk e a fase disco que eu não curto muito (ou nem um pouco) tirando o classico gravado com o QUEEN "under pressure".
Fiquem com os videos de Bowie ! abraços rocker!!!!

VIDEO 1 : DAVID BOWIE -SPACE ODDITY



VIDEO 2:DAVID BOWIE - OH! YOU PRETTY THINGS


...

terça-feira, 19 de agosto de 2008

ANGRA


Fonte:Wikipédia
A banda foi formada pelo empresário Antônio "Toninho" Pirani, dono da Revista Rock Brigade e do selo Rock Brigade Records por volta de 1990, no auge do estilo metal melódico. Toninho convocou músicos de renome do mercado, como Kiko Loureiro (guitarra), Rafael Bittencourt (guitarra), Luís Mariutti (baixo), Andre Matos (que já tinha trabalhado com Toninho em sua antiga banda, Viper) (vocal) e Marco Antunes (bateria). O nome significa deusa do fogo na mitologia tupiniquim, além de significar uma pequena enseada ou baía usada como porto natural.
O quinteto ensaiou praticamente por um ano para lançar sua primeira demo tape, intitulada Reaching Horizons, ainda em 1990. No ano seguinte, o Angra teve a oportunidade de gravar seu primeiro CD, Angels Cry. Considerado por muitos o melhor álbum da banda, Angels Cry obteve ótima repercussão tanto no Brasil como no exterior (principalmente no Japão, onde a banda alcançou uma marca de mais de 100 mil cópias vendidas), graças à inteligente mistura de heavy metal e música clássica, sonoridade que marcou o estilo da banda. Pouco antes das gravações do álbum, Marco Antunes deixou a banda, o que fez com que a bateria fosse gravada por Alex Holzwarth. Em seguida, Ricardo Confessori assumiu as baquetas do Angra.
Depois de passar o ano de 1994 excursionando pelo Brasil, o Angra iniciou as gravações de seu novo álbum em 1995. Holy Land, lançado em 1996, é o disco que trouxe à tona diversas influências brasileiras, sem, no entanto, deixar de lado o peso e a técnica do heavy metal. Isso valeu à banda ainda maior reconhecimento internacional, culminando em shows por diversos países europeus, como Itália, França e Grécia, além de proporcionar ao grupo mais um disco de ouro (100 mil cópias) no Japão. No início do ano seguinte, a banda faria sua primeira turnê pelo Japão, um dos países no qual são mais populares. Como conseqüência de tantos shows bem sucedidos, foi lançado em 1997 o EP Holy Live, com quatro faixas ao vivo gravadas em Paris. A banda teve o videoclipe da canção "Make Believe" indicado para o MTV Video Music Awards de 1997, acabando como um dos mais votados.
O ano de 1998 marcou o início de mais uma produção do Angra. Com Chris Tsangarides na produção (que trabalhou, entre outros, com Helloween e Judas Priest), a banda antecipou seu próximo álbum com o single de três canções Lisbon, lançado em julho daquele ano. O álbum completo, intitulado Fireworks foi lançado em setembro do mesmo ano, mostrando a banda menos voltada para os ritmos brasileiros e mais dedicada ao heavy metal. Durante a turnê do álbum, os problemas de relacionamento com o empresário Antônio Pirani se agravaram, resultando em conflitos internos.
Mesmo fazendo muito sucesso (os 3 primeiros albuns do Angra superaram a marca de 1 milhão de cópias vendidas,segundo o site andrematossolo.com.br) os problemas fizeram com que a banda se separasse em 1999.
Com a saída de Andre, Ricardo e Luís, ingressaram à banda no início de 2001 Aquiles Priester (bateria), Edu Falaschi (vocal) e Felipe Andreoli (baixo). A seleção dos novos músicos envolveu critérios rigorosos, sendo que os novos integrantes foram escolhidos em função de suas experiências anteriores, da técnica apurada e do perfeito entendimento musical e pessoal que surgiu logo após os primeiros ensaios.
Assim, após muita expectativa, o Angra voltou às atividades em grande estilo no ano de 2001 com o lançamento mundial do disco Rebirth no mês de outubro. O nome do álbum, que significa renascimento em português, remete à nova fase vivida pela banda a partir do primeiro semestre daquele ano e foi gravado no Brasil e na Alemanha pelo renomado produtor Dennis Ward.
Em 2004 foi lançado Temple Of Shadows, um álbum conceitual que narra a saga de um cavaleiro das Cruzadas conhecido como The Shadow Hunter, e que se passa no final do século XI. O encarte que acompanha o disco chama a atenção logo no primeiro momento. Além da complexa arte, assinada novamente por Isabel de Amorim, ele possui formatação de livro, narrando a história por trás das letras. Após meses de espera, e também após especulações sobre um DVD, é lançado em novembro de 2006, o álbum Aurora Consurgens caracterizado por ser uma comemoração dos 15 anos da banda e possuir elementos de todos os seus discos anteriormente lançados (coisa que se refletiu na turnê).

VIDEO:ANGRA - THE COURSE OF NATURE
DISCOGRAFIA